segunda-feira, 29 de março de 2010

Preparando o Ninho - DICAS E INFORMAÇÕES

Achei na net:

Cuidados para a vida

Uma das principais formas da mulher manter a saúde ginecológica e garantir tranqüilidade para gerar bebê é tomar algumas precauções ao longo de toda sua vida sexual. Na verdade, essas são regras para todas as mulheres, mesmo as que não têm intenção de engravidar. Segundo os médicos, uma das recomendações mais importante é prevenir infecções sexualmente transmissíveis, como a clamídia e a gonorréia. Elas podem causar danos irreversíveis, como a infertilidade, se não diagnosticadas rapidamente. A endometriose, os cistos localizados na região pélvica e os miomas também são problemas que devem ser acompanhados de perto, pois podem causar complicações futuras, como a esterilidade.

O sedentarismo e a falta de cuidados com a alimentação também são fatores que podem comprometer não só as possibilidades de gravidez, mas a qualidade de vida da mulher. Se estiverem acima do peso, elas podem ter mais dificuldades para engravidar e estarão mais suscetíveis a complicações, como a diabetes gestacional e dificuldades no parto. “É importante ressaltar que se a mulher não está habituada a fazer exercícios, não é durante a gravidez que ela deve
adquirir esse hábito”, lembra Denise. Por isso, estabelecer um ritmo estável de atividades físicas antes de esperar um bebê é tão importante.

Quanto à alimentação, é interessante manter os níveis de ácido fólico em dia ingerindo vegetais, frutas e grãos diversificados. O ácido fólico é responsável pelo desenvolvimento da placenta e formação adequada do feto. Também é importante investir em alimentos antioxidantes, como cereais integrais e hortaliças, que auxiliam a regular o funcionamento do organismo.

O consumo de álcool, cigarros e drogas deve ser abolido o quanto antes. “É comum a mulher não conseguir largar o vício assim que descobre a gravidez, mas fundamental que o faça. As que fumam, por exemplo, precisam reduzir o cigarro drasticamente, além de evitar as tragadas”. Segundo a médica, o cigarro acarreta riscos de aborto e de retardo no desenvolvimento do feto. As possibilidades de a gestante ter um parto prematuro também aumentam. Já o álcool e as drogas podem interferir na formação fetal, especialmente se ingeridas nas primeiras semanas de gravidez.


http://www.alobebe.com.br/site/revista/reportagem.asp?texto=437

Vanessa di Carli
Publicação: Junho 2008 - Edição: 31

Nenhum comentário: